domingo, 23 de julho de 2017

Cantata Mundi: KARL JENKINS

 Adiemus - Cantata Mundi II

compositor: KARL JENKIN

Adiemus é um projeto de música incidental pensado e realizado pelo compositor galês Karl Jenkins em 1994. O projeto em si nasceu quando a Delta Airlines European procurou Jenkins para compor um jingle tema destinado às campanhas da companhia, já que a companhia rival havia utilizado a música "Storms in Africa" da cantora e compositora Enya.

Devido ao sucesso do jingle "Adiemus", Jenkins compôs um segundo jingle, "Elegia", e logo após criou o projeto Adiemus de Orquestra Erudita de Música Africana, que resultou em oito CDs e uma série de singles vendidos pelo mundo todo.
O primeiro disco, Songs of Sanctuary, conta com a participação de Miriam Stockley no vocal, com arranjos de percussão de Mike Ratledge. 

Karl Jenkins rege a London Philharmonic Orchestra. A língua usada no Adiemus foi inspirada no estudo da língua dos "maoris" da Nova Zelândia e tem como objetivo gerar um sentimento bom.

Chorale IV (Alame Oo Ya) - Adiemus II: Cantata Mundi


 













Song of the Odyssey

 Adiemus - Elegia



 fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adiemus



 

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Mooji: chave para meditação


 

 

 

 

 

 

 

 "Isso não é Nada, Nada, Nada!"

Por que você não consegue controle sobre a mente? por que a mente parece tão forte?
Eu lhe darei algo poderoso a você hoje! ...
... (apontando prá mente): isso não é nada! Não é nada! Tudo isso que a mente traz.
Esse deveria ser seu mantra. O que quer que esteja chegando em sua mente... é lixo! Não é nada! Não contribui para nada.
Nós crescemos com muito desse junk food*, nesse tipo de cultura...  de pensar demais sobre a vida... “o que nós vamos fazer?”... Isso nunca contribui para nada aqui (apontando para o coração).
Nada disso jamais contribuiu. Dê uma chance à paz... Dê uma chance ao Vazio... Você nunca fez isso. 
Para tudo que chega aqui (na mente), seu mantran de Mooji é: isso não é nada! Nada! Nada!
É basicamente como alguém chegando e servindo um prato de merda para você e dizendo: “Esse é um presente prá você! ...por favor, pense sobre isso... é realmente bom! tem bons nutrientes!” ... isso não é nada! Isso é nada!! Nada! Nada!! Nada!! Nada!! Nada!!
Conserve um pouco de espaço vazio dentro do seu coração!
Recuse todas essas coisas. Tente! Tente!  (...)
Apenas siga desconsiderando o que quer que a mente queira lhe dizer: “isso é uma ideia melhor!" ... "isso é melhor prá você..."  "isso é mais vantajoso... você vai ter isso”...
Isso é lixo! Não é nada... nada!!
“Ah...Estou preocupado... como salvar meu casamento?... “ que posso fazer pelos meus filhos?...” isso é nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Ok? Isso não é o que o Criador lhe deu de presente! Ele lhe deu isto como uma oportunidade de usar e discernir com a mente. Mas está tudo entupido! Está tudo claustrofóbico agora.
É tarde demais prá seguir em frente com mais disso...
Isso não é nada! Nada! nada! nada! Nada! Ok?
Esvazie-se e não seja nada por um momento. E me diga você, ok? Não carregue nada no dia de hoje!
Ok! Você precisa fazer compras?  Você precisa comer? Coma! Isso também não é nada, mas coma!
Mas não fale sobre isso: “mas e as calorias disso? O que é que eu vou fazer?... ”  Essas tendências de preocupar-se ... isso não é nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Faça isso por um dia e me diga se no final dia, você sofreu de alguma forma.
De fato, será um dia muito diferente com você. Eu não vou te dizer o que vai ser diferente.  Eu quero que você me diga o que aconteceu com você.  Não apenas me dizer... viva isso, seja isso!
Isso é algo que não se pratica. Isso é uma não-prática que não te dá nada ...e  lhe deixa com tudo.. vazio, alegre, completo.
Essa é a minha oferta prá você hoje.
Namastê.
Desfrute um pouco.




* junk food: comida rica em calorias e de baixa qualidade nutritiva

  O Exercício da Observação

 

domingo, 16 de julho de 2017

Tecnologia transforma fazenda em oásis no sertão de Pernambuco

Tecnologia transforma fazenda em oásis no sertão de Pernambuco

Fazenda Caroá é exemplo de convivência com o clima do semi-árido.
No local existe água em boa quantidade para os rebanhos e as pessoas

A Fazenda Caroá, no município de Afogados da Ingazeira, em pleno sertão de Pernambuco é um exemplo de convivência com o clima do semi-árido. Na propriedade do engenheiro mecânico José Artur Padilha, os efeitos de uma das piores secas da história são limitados. Os animais não passam fome e existe água em boa quantidade para os rebanhos e as pessoas.
No sertão devastado pela estiagem mais severa em décadas, a água determina a sobrevivência dos bichos, das plantas e o sofrimento dos homens. Nas comunidades rurais, o latão vira banco nas carroças puxadas pelos animais. A água é escassa e são necessárias várias viagens por dia para suprir a necessidade das famílias.
Mas no sertão do Pajeú, um rastro verde corta a paisagem esturricada pelo sol. O riacho Carapuça corre nos tempos de chuva. Há 29 anos, o engenheiro mecânico José Artur Padilha cria gado de corte e abelhas para produção de mel na Fazenda Caroá, no município de Afogados da Ingazeira. Em plena seca, a água brota da terra. Esse é resultado do trabalho do produtor que uniu os conhecimentos da profissão à observação da natureza. O produtor construiu 350 pequenas barragens curvadas ao longo do rio que corta a propriedade.


fonte:
http://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2012/12/tecnologia-transforma-fazenda-em-oasis-no-sertao-de-pernambuco.html

quando uma imagem vale mais do que mil palavras


meditação 24 horas por dia: Mooji



Não tente se livrar dos apegos, apenas reconheça Aquele que os observa...



“Apenas observe o que aparece de uma posição de neutralidade total, você tem o poder de fazer isso, não é difícil, a maior parte do tempo você já faz isso, você já faz isso com várias coisas, porque você não tem nenhum relacionamento em particular com elas. 

Você pode ver esses dois objetos aqui (mostrando um retrato de Ramana Maharshi e um guardanapo), você pode ver ambos com igual claridade, mas se você tiver um relacionamento diferente com este (mostrando o retrato), então é esse que provavelmente vai lhe causar problemas, não este aqui (mostrando o guardanapo). 
A maior parte das coisas que você vê no mundo não lhe causam problemas, porque você não tem nenhum sentimento especial por elas, você geralmente é perturbado pelas coisas que se tornaram valiosas pra você.”

(Mooji* - 1º de março de 2008, em Ubatuba, Brasil)

Note que essa “observação pura”, com “total neutralidade”, não quer dizer nenhum tipo de desprezo, nem se trata de ‘ser indiferente’ às experiências que a vida proporciona, às pessoas, ou à natureza. O “sentimento especial” que surge quando há apego é o problema. 
O desejo pessoal individual é o problema. A partir deste ‘desejo’ surge apego, o “sentimento” que atrai sofrimento. 
E isso se dá toda vez que o objeto do apego se afasta de nós, desaparece, se transforma, se modifica, ou quando não podemos manipulá-lo ao nosso bel prazer.



* O jamaicano Mooji (Anthony Paul Moo-Young -1954), foi artista de rua em Londres, mas por fim tornou-se discípulo do mestre indiano H.W.L. Poonja (1910-1997)



fonte:



quarta-feira, 12 de julho de 2017

cidadão consciente? que palavrão é esse?



Hoje quero falar com vocês sobre o que é um "cidadão consciente"

Há dois momentos importantes sobre os quais vamos conversar hoje:
Antes da eleição e depois da eleição.
Antes da eleição, o que importa é saber escolher um candidato!
Isso é mais importante do que você pensa!

Você já se perguntou por que o ambiente político brasileiro parece tão pornográfico? 

Por que há tantos escândalos e tantos políticos roubando nosso dinheiro?
É!! ... Há algo em comum a todos eles: Todos foram eleitos por nós, cidadãos brasileiros. Sim ou não?
Então, como a gente muda a realidade política de uma nação, de um país, de uma cidade?
Primeiro, escolhendo melhor... isso parece óbvio, mas pouca gente se importa realmente com isso. Somos demasiadamente preguiçosos, até mesmo para escolher quem vai governar nossa vida social, econômica e política por anos ou décadas...
"Escolher melhor" passa necessariamente por ser menos preguiçoso e buscar conhecer bem em quem vamos votar.  
E fazemos isso, pesquisando o passado do candidato. 
Veja só: Se alguém quisesse ser seu sócio, a primeira coisa que você faria seria buscar informação sobre o histórico de vida daquela pessoa, conversaria com quem já conhece o passado do tal futuro sócio, não é mesmo?
Pergunte-se: o que ele já fez pela sua comunidade ou pela sua cidade? Quem financia sua campanha eleitoral?
E reflita bem: Suas promessas são realistas?

O segundo momento importante é: após a eleição!

Agora (independente de quem foi eleito), é fundamental fiscalizar, monitorar a ação de nossos representantes... mesmo que eles não tenham recebido seu voto! 
Aqui vão algumas dicas importantes:

PRIMEIRO: Mesmo que seu candidato preferido não tenha sido eleito, você tem o direito de fiscalizar sua conduta, seja ele prefeito, vereador, governador ou deputado.

Um bom começo é assistir o trabalho dos vereadores na câmara municipal! A entrada é gratuita!

2ª dica: acompanhe sempre que possível as propostas apresentadas e aprovadas.

Se notar algo errado, procure o Ministério Público e denuncie.

3ª dica: Você também pode se organizar com outros cidadãos, criar um grupo específico para encaminhar as reivindicações do seu bairro ou cidade e se revezarem no monitoramento das sessões da câmara municipal de sua cidade...


Esse grupo pode se constituir como ONG, que é uma associação que vai representar os cidadãos de modo geral, independente do partido político de sua preferência;
Essa associação pode aproveitar também para denunciar qualquer irregularidade que vocês estejam percebendo.

Um último lembrete: Quando nos omitimos, sempre acabamos pagando a conta no final.